26/11/2011

"O Melhor pra Mim"


Capitulo 4


Segunda-feira, dia 2 de Novembro, 11:10, intervalo do Elite Way.
Girls:
- Sim Luzita, sua mamãezinha chega em duas semanas, e se você não der um jeito nisso, e o que eu digo em dar um jeito é fazer com que Thur seja seu namorado em troca de deixar sua banda famosa, você vai perder seu carro e sua orelha de tanto que ela vai reclamar e berrar. – Sophia disse, sorrindo. Ou ela tinha prazer em me ver sofrer ou queria mesmo ficar com Micael Borges. – E para de drama, todas nós sabemos que você consegue transformar uma banda de garagem ruim em uma loucura nacional em dois segundos!
- Eu não posso fazer isso… Eu simplesmente não posso! – exclamei, desesperada. As pessoas nerds das outras mesas me olhavam de relance, mas nerd que é nerd não fuxica sobre a vida dos outros. Nerd que é nerd faz um blog sobre isso e dá um jeito de colocar Star Wars no meio. – Ele é Arthur Aguiar! Ele é nojento, encarado e gosta de molhar papel higiênico e grudar no teto! – eu estava mesmo tendo um chilique. O que era estranho para uma garota meio fechada – punk para os desinformados – como eu. Mas minha mãe me deixava em estado de nervos toda vez que vinha me visitar. O que acontecia, mais ou menos, de 3 em 3 meses.
Se eu fosse morrer de alguma doença, com toda a certeza seria do coração.
- Sim, ele é tudo isso, mas ele é Arthur Aguiar! – Mel exclamou, tentando me fazer entender algo que eu estava deixando passar. Então ela arregalou os olhos de um jeito esquisito. – E ele esta vindo em nossa direção agora mesmo. – disse, apontando discretamente com a cabeça para atrás de mim. Eu me virei sem cerimônia, avistando ele, que descia as escadas quase que correndo.
Eu tinha que pensar rápido. Mamãe ou orgulho. Carro ou princípios. Orelha ou virar groupie. Morrer do coração ou morrer de ódio.
A vida conseguia mesmo ser cruel às vezes.
Thur se aproximava a toda velocidade, e eu tinha que tomar uma decisão.
“Pensa Lua, pensa!” eu gritava comigo mesma, os pensamentos ecoando. “Pensa logo porque ele já está quase aqui… Ai meu Deus, pensa AGORA porque ele está na sua frente e abrindo a boca para falar algo! Diz logo que sim Lua, diz logo que sim! Ai Jesus, ele começou, você tem que aceitar e… Hey, espera aí… Ele disse mesmo isso ou eu estou ouvindo coisas?”
Sim, senhoras e senhores, Arthur Aguiar, o garoto que eu estava pensando seriamente em “contratar” como meu falso namorado em troca de favores sujos, veio até mim – e olha que eu estava quase me decidindo por aceitar ajudá-lo – e disse exatamente o seguinte:
- Lua, olha, eu sei que você é aquele tipo de menina que me odeia e odeia meus amigos. Mas isso não vem ao caso! O negócio é que eu preciso mesmo disso, porque se não tiver uns 200 fãs até o final da semana que vem, meu pai corta o meu pau fora! Então eu não vou aceitar um não de uma punk com problemas de auto-estima como você, por isso voltei aqui para ter certeza que você diria sim. Eeee, eeee – ele me cortou, quando eu abri a boca para pronunciar algo – algo como “seu filho de uma puta de merda” – e continuou, como se estivesse fazendo um grande favor em estar falando comigo –, se você não aceitar, eu posso te pagar, posso mesmo… Não muito, mas você não pode querer cobrar muito, não é? Posso até te pagar com outras coisas… Você não é de todo o mal se soltar o cabelo e passar menos lápis no olho…
Quando ele acabou, sorrindo como um imbecil, eu senti meu coração se acelerar como nunca havia se acelerados antes com minha mãe; Minhas veias pulsavam. E todos ao redor olhavam e comentavam. Aquela era nova, até os nerds estavam fofocando! Meu Deus, Arthur Aguiar conseguira provocar a ira dos nerds e losers.
E a minha ira.
- Sabe de algo que iria te ajudar muito com o que você precisa? – perguntei, e ele fez que não com a cabeça. – Tomar vergonha nessa sua cara e comer muito cérebro de porco pra ver se algum neurônio funciona nesse seu cabeção. Mas enquanto isso não acontece, você pode ficar com esse presentinho… – dei dois passos em sua direção e ele levantou a sobrancelha de um jeito malicioso. Mas logo em seguida sua boca se abriu em um “o”, quando recebeu meu chute no estômago e caiu no chão, agonizando. – Da próxima vez eu acerto mais embaixo.
Virei nos calcanhares e saí dali pisando duro.
Preferia encarar minha mãe do que passar dois segundos com alguém como ele.
Continua..

2 comentários:

  1. kkkkkkkkkkkkkkkk
    amei amei amei
    muito bom msm
    posta mais por favor
    ansiosa

    ResponderExcluir
  2. muito bom, "da proxima vez acerto mais embaixo" adorei kkkkkkkkkkkkkkkk parabéns, essa web é ótima, muito boa mesmo

    ResponderExcluir