08/02/2012

"Um amor de novela"


Capítulo 45 da 2ª Temporada.

POV- Lua

Quase duas semanas depois do meu caso com o Arthur, e o teste para o papel, descobri que consegui o papel, e que o meu par romântico já havia sido decidido. Fiquei animada, como sempre antes de um novo trabalho.

Arrumei-me para a reunião que teria no estúdio, peguei o celular, a bolsa e sai. No caminho comecei a pensar como o Arthur não se manifestara nesses dias, eu havia pedido que ele não falasse comigo, mas parte de mim desejava que ele corresse atrás de mim.

Chegando ao estúdio sou recebida pelo diretor, e a escritora da novela, começo a conversar com eles. Descubro mais detalhes sobre o que estava por vir na novela, figurino e sobre o passado da minha personagem, que também esconderia um segredo.

Nessa novela, diferente de Rebelde, as cenas seriam mais adultas, apesar de menos beijos, quando houvesse o clima seria mais pesado, tenso. Torci para o ator que fizesse meu par romântico fosse um cara legal.

POV- Arthur

Com a informação da Beca passei as duas semanas seguintes me preparando. Fui uma última vez para o Canadá, limpei meu apartamento. Comprei uma casa no Rio, falei com o meu assessor, e avisei a ele que tinha um projeto em mente.

Quando conheci os diretores do meu projeto expliquei a eles que havia me interessado no projeto deles. Por eu ser um ator conhecido na atualidade, não precisei nem fazer teste, bastou eu dizer que aceitava o cachê que eles me ofereceram que ganhei o papel.

No dia da reunião atrasei-me um pouco, não foi proposital, o trânsito no Rio estava insuportável. Quando finalmente cheguei vi a minha amada de costas para mim, sentada numa cadeira de couro no escritório. Sorri, e o diretor me cumprimentou:

“Finalmente, nossa estrela chegou. Lua Blanco, eu soube que você e o Arthur já se conheciam, e que atuaram juntos, então imagino que o papel será bem confortável para vocês dois.”

Lua olhou-me boquiaberta. Será que ela odiara tanto assim minha presença?

POV- Lua

Quando finalmente chegou meu par romântico quase cai da cadeira. Era o Arthur, não qualquer Arthur, mas sim aquele que fora MEU marido, MEU namorado, o mesmo que eu pedira para manter distância.

Levantei-me, e decidi entrar no joguinho dele. “Arthur, a quanto tempo a gente não se vê.”

“Lua, que saudade. Vamos voltar a ser par romântico, que divertido.” Ele fala com um sorriso malicioso no rosto. Depois disso descobrimos que haviam reservado uma mesa para nós num restaurante de Copacabana. Oba, jantar com ele! Tem como meu dia piorar?


Continua...
Escrita por : Amanda


5 comentários: