21/05/2012

"A Lucíola moderna"


Capítulo 23


Havia se passado três semanas desde o dia que Arthur e Lua se viram pela última vez. O moreno estava disposto a empenhar-se apenas na natação, esquecendo todo o resto.

Um dia, após o treino, recebeu uma carta, onde nela havia o pedido que fosse até o banco central da cidade.

Ao chegar no local, o homem que atendeu ele foi o mesmo que beijou a mão de Lua no outro dia.
“Sr Aguiar, é um prazer finalmente conhecê-lo. Sente-se.” Ele pediu.

“Obrigada, mas eu realmente quero saber de uma vez o por que de eu estar aqui.” Arthur pediu.

“Bem, como você deve saber, eu sou o gerente da Lua. Controla as finanças dela a anos. E ela pediu, após vender quase todos os pertences ao meu banco, que lhe entregasse isso.” Nesse instante, o funcionário do banco entregou ao nadador uma caixa.

“Desculpa a pergunta, mas você e a Lua não são amantes?” Questionou-o Arthur.

“Claro que não.” Afirmou o homem. “Lua jamais faltara o respeito comigo, assim como eu com ela. Somos apenas conhecidos.” Afirmou.

Arthur, sentindo-se culpado por não ter dado a chance para Lua explicar-se, entrou no primeiro táxi que viu e correu para casa dela.

Aquele dia era atípico, estava frio no Rio de Janeiro, o sol escondido atrás das nuvens, e um vento forte estava presente.

Chegando na casa da amada, ele estranhou. O jardim, que sempre foi cheio de flores, estava descuidado, as janelas (todas) estavam fechadas, e uma luz sequer brilhava naquela casa. De repente, a porta se abre e por ela sai....

Continua...
Escrito por : Amanda

7 comentários:

  1. Mais Por Favor
    Gente to curiosa demais

    ResponderExcluir
  2. Celly,eu tenho parceria com essa web,e preciso postar ela no meu blogger...mais não tem como copiar...pode ajuudar?Ou Fazer alguma coisa?

    Muito Agradecida!

    ResponderExcluir
  3. Ai que menina má, isso não se faz, posta mais por favor!!!

    ResponderExcluir