28/06/2012

"Lock and Key"


Capítulo 7 e 8


POV- Arthur

“Eu não beijei a Pérola, a foto que saiu estranha.” Falei para Lua, quando entrei no camarim dela.

“Eu sei.” Respondeu-me ela.

“Ah, que bom que você sabe.”Eu disse sorrindo, e aproximei-me para beijá-la.

“Não Arthur. Nós dois não tem como continuar.” Ela disse.

“Lua, eu não beijei a Pérola, já foi provado isso, você mesma disse que acredita, então o que há de errado?”Perguntei confuso.

“Arthur, eu gosto de você, mas imagine se formos brigar a cada vez que sair uma foto suspeita, ou se sair uma matéria dizendo que estamos traindo um ao outro? Não teríamos como trabalhar em harmonia.” Ela falou, sem encarar-me.

“Lua...” Falei, abraçando-a por trás, mas ela soltou-se e falou:

“Arthur, nós PRECISAMOS ser apenas amigos, pelo nosso bem. Desculpa, mas não vai dar assim.” Ela disse. Em seguida abriu a porta do camarim e pediu que eu saísse.

Olhei-a e obedeci, não havia como discutir. Agora era seguir em frente.

POV- Lua

Quando Arthur saiu do meu camarim, eu desmoronei. Chorei sem parar. Minha maquiadora enlouqueceu ao ver o estrago que eu fizera à maquiagem, além dos meus olhos vermelhos e cara inchada.

Tirando os momentos que fui obrigada a ficar com o Arthur, eu evitei ficar muito perto.
O simples fato de eu estar próxima dele me deixava balançada. A cada beijo que dávamos em cena eu via estrelas, minhas pernas balançavam, meu coração disparava,as lembranças voltavam e meu coração se desmanchava, formando lágrimas em meus olhos.

Passou-se uma semana. Eu começava a acreditar que seria capaz de esquecê-lo. Já estava conseguindo ficar próxima do Arthur sem perder o ar, mas uma janta com o Bernardo fez todos os meus discursos perderem valor.

POV- Arthur

Não havia o que fazer, Lua não iria voltar para mim. Eu sabia que a loira quando cismava com algo não mudava de ideia facilmente. As coisas entre nós passaram a ficar “normais” depois de quase uma semana. 

Conseguíamos conversar sem ficarmos tão nervosos. Eu estava me acostumando com a ideia de ficar sem ela, inclusive, aceitei sair para jantar com o Chay no Joee Leos, no dia 03/05/2011. Após o jantar, nos encontraríamos com a Sophia em uma festa de um amigo dela, quem sabe lá eu não conhecia alguém. Para minha surpresa, o jantar deu mais frutos que a festa daria.

Capítulo 8

POV- Arthur

Naquele jantar com o Chay constatei algumas coisas:

a) Discursos podem ser esquecidos em segundos;
b) É possível comer um hambúrguer de forma sexy;
c) Nem tudo que tentamos tornar realidade acontece de verdade.

Eu e Chay pegamos uma mesa, e começamos a conversar. Como sempre, meu amigo falava besteira sem fim. Repentinamente Chay sorri e diz:

“Acho que a gente vai ter companhia.”

“Quem?” Pergunto, virando-me para trás, vendo o Bernardo com a Pérola e a Lua.

“Ei! Não querem sentar com a gente.” Convidou o meu amigo.

“Ah pode ser.” Falaram Pérola e Bernardo, enquanto Lua disse: “Não precisa, não queremos atrapalhar.”

A loira, ao ser vencida pela maioria, sentou-se com a gente. Ela ia sentar-se ao lado do Chay, mas Pérola foi mais rápida. Acabou por fim sentando-se ao meu lado.

Pedimos a comida e a conversa flui normalmente. Lua e eu não trocávamos muitas palavras, nem mesmo nos olhávamos.

A noite teria acabado assim, cada um indo para sua casa, porém, como dizem, um gesto
estragou tudo.

POV- Lua

No dia 03/05 fui ao Joe e Leos. A principio íamos apenas eu e o Bê jantar fora, porém, depois que vimos a Pérola triste por ter levado um “bolo” do namorado, convidamos ela para se juntar a nós.

Chegando ao restaurante, Chay e Arthur também encontravam-se lá. O primeiro nos convidou para sentar, e, como eu fui vencida pela maioria, fui obrigada a aceitar o convite.

Tudo parecia normal, até que tudo aconteceu. Minhas promessas quebraram-se, meus
diálogos foram esquecidos, minha moral foi jogada para o fundo do mar....

Continua...

4 comentários: