29/06/2012

"Lock and Key"


Capítulo 9 e 10


POV- Arthur

Quando nossas mãos encostaram-se, tudo perdeu o sentido. Tudo que eu lutava contra voltou.
Minhas memórias, desejos, tudo voltou com uma força sobrenatural.

Ela olhou-me com aqueles olhos grandes e expressivos, deu um sorrisinho e levantou-se.

“Eu vou ao toilet, já volto.” Ela murmurou a todos.

Segundos depois eu disse, mentindo:

“Vou sair da mesa para atender um telefonema, já volto.”

Me levantei e fui em direção ao banheiro feminino. Chegando lá esperei a Lua sair, quando ela saiu puxei-a para um canto escuro e reservado do restaurante, coloquei-a contra a parede e disse:

“Por favor, apenas mais um beijo, para eu poder esquecer tudo.”

Ela olhou-me e beijou-me.

POV- Lua

Quando Arthur e eu encostamos as nossas mãos, colocando uma sobre a outra, meu coração disparou. Eu simplesmente murmurei uma desculpa e sai dali. Precisava de ar.

Entrei no banheiro, passei uma água no rosto, respirei fundo e sai do banheiro. Na porta,
Arthur puxou-me para um canto e disse, ao colocar-me contra a parede:

“Por favor, apenas mais um beijo, para eu poder esquecer tudo.”

Não pude dizer não ao pedido, eu também precisava de mais um beijo para esquecer de tudo.

Capítulo 10

POV- Lua

Quando Arthur afastou-se do beijo, ele disse apenas:

“Obrigada.” E começou a caminhar em direção à nossa mesa.

Eu não resisti, puxei-o para perto de mim, e beijei-o novamente. Senti a mão dele, que estava em minha cintura, descer levemente, e puxar-me para mais perto. Os beijos migraram dos lábios para meu pescoço, senti o perfume dele e sorri.

“Depois daqui, vamos ao cinema ou sei lá, só não quero que essa noite acabe.” Ele falou com um sorriso contagiante.

Sorri e falei: “Eu também não quero. Vamos para sua casa? Acho que cinema a essa hora é muito cheio.”

Voltamos para mesa, eu dois minutos antes dele. Acho que ninguém reparou na nossa
demora, mas se repararam eu não estava nem ai.

POV- Arthur

Quando voltei para mesa, falei que precisava ir para casa, um imprevisto ocorrera (era
verdade, eu não esperava receber ninguém na minha casa, muito menos a Lua, então era uma boa dar uma organizada, ou ao menos tirar as roupas sujas que estavam espalhadas.).

“Chay, a festa vai ter que ficar para outro dia, mas aproveita por mim.” Eu disse.

Em seguida, dei tchau para o Bê e dei um beijo na bochecha das meninas.

Chegando em casa, corri para esconder tudo que era coisa comprometedora.
Revistas “indecentes” foram escondidas nos mais diversos lugares, um vinho fora escolhido, passei perfume e desodorante, arrumei minha cama e tentei acalmar-me. Quase uma hora depois minha campainha tocou.

POV- Lua

Após o Arthur ir para casa, minha cabeça não conseguia concentrar-se na conversa que
estabelecia-se no restaurante.

Na hora de sair, Chay convidou-me para ir à uma festa com ele e Sophia.

“Chay, obrigada, mas estou muito cansada, e amanhã marquei de ir à praia cedo da manhã.” Menti.

Ele riu, e me deu um beijo de despedida (na bochecha). Peguei meu carro e corri para casa do Arthur, chegando lá o porteiro permitiu que eu subisse. Quando sai do elevador fui puxada pelo nadador, entrei na casa dele beijando-o. Nossos lábios não se apartavam. Coloquei minha mão que não estava na nuca dele por dentro da camiseta dele, acariciando o peitoral musculoso dele. E senti que iríamos ter nossa primeira noite juntos naquele dia mesmo.

Continua...

3 comentários: