20/07/2012

"Esse cupido promete"

                                                                      Capítulo 4


Capítulo quatro 


-Lua! Achei que tivesse me esquecido! – Max falou me abraçando, fazer o que? Ser a favorita tem suas desvantagens! Brincadeira!
 
-Jamais! – Entrei na brincadeira.
 
-Ótimo, agora pega seu arco e mostra como se faz!
 
-Ih, isso ta me cheirando a prova?!
 
-Oh nossa, como você é esperta, como adivinhou? – Max falou realmente assustado, mas em tom de sacanagem.
 
-Por que você sempre fala isso quando é prova! – Falei como se fosse óbvio o deixando sem graça.
 
-Observem turma, nossa melhor ‘artilheira’[n/a: oO sei lá se é assim que chamam atiradores de arco e flecha, a partir de agora é! \o/]
 
Eu estava me concentrando no arco amarelo, mas ele passou no fundo, me distraiu totalmente e eu errei o circo amarelo. Eu não podia acreditar... O
 Arthur Jonas estava no meu colégio. 
-Mas não é possível! Eu não sabia que você tava tão bem de mira
 Lua! – Max falou com um sorriso de orelha a orelha me tirando do transe que eu estava. 
-Mas eu errei! –Falei muito decepcionada comigo mesma e nem vi
 Arthur se aproximar da turma. 
-Alguém perdeu uma flecha... na minha maçã? – Ele falou mostrando uma flecha exatamente no meio da maça tentando não parecer grosso.
 
-Er... bem... Eu! Desculpa! – Falei muito nervosa. Mas na hora tentei parecer um pouco de mim mesma. – Tentei mudar meu alvo!
 
-E seu alvo se tornou eu? – Ele falou assustado, brincando óbvio.
 
-Se você quiser posso tentar!
 
-Ela seria uma ótima cúpida, nunca erraria a flechada! – Max completou minha frase me fazendo corar.
 
-Bem, eu ainda pretendo fazer algumas coisas na vida antes de ser atingido por uma flecha! – ele completou rindo por fim.
 
-Quando mudar de idéia estarei aqui! – Falei meio risonha
 
-Pode deixar, mas me deixe seu cartão! – Ele falou brincando sem notar muito nos outros em nossa volta.
 
-Bem, cartão eu não tenho... mas celular sim! – Tentei entrar na brincadeira, mas meus pensamentos vieram a mil... ‘Como assim
 Lua? Ta maluca? Jura que oArthur ia querer seu celular!’ 
-Então... - Ele colocou a mão no bolso da calça, parecia procurar algo ate que tirou seu celular. – Diga-me seu cartão, digo, celular!
 
Dei meu numero e ele, educadamente pediu licença, indo se encontrar com seus irmãos...
 

8 comentários: