09/07/2012

"Lock and Key"


Capitulo 30,31 e 32



POV- Lua

Depois do show minha vida resumiu-se em curtir um namoro secreto, com a pessoa que eu mais amava, gravar a novela, gravar músicas em São Paulo, colocar o meu plano em prática com meu namorado, e namorar um pouquinho mais.

Não sei exatamente porque, só sei que a culpa foi da TPM, mas eu e o Arthur tivemos uma briga sem pé nem cabeça. Para piorar ainda mais minha semana (passei três dias sem falar direito com ele), recebi uma ligação do meu pai....

POV- Arthur

Eu passei três dias sem falar com a Lua, e esse tempo foi o suficiente para eu perder alguns fios de cabelo. 

O Guga, um dos meus melhores amigos, já não me aguentava mais.

“P* Arthur, você parece uma menina andando de um lado para o outro... Vai lá e pede desculpas para ela.”

“Cara, mas eu nem sei porque a gente brigou.” Falei, confessando o quão patético fora a briga.

“Puts, então para de me atormentar.” Falou ele, rindo e desligando o telefone na minha cara.

No dia 8 de julho de 2011, enquanto gravávamos pela manhã, não pude falar com minha princesa e tentar acertar as coisas. No primeiro momento da manhã eu estava gravando com os meninos, e depois fui avisado que ela fora dispensada pelo resto do dia.

Demorei quase duas horas para descobrir o motivo para ela ter saído.

POV- Lua

Eu estava gravando com a Sophia, quando fui para o camarim retocar a maquiagem.  Percebi que havia doze chamadas perdidas do meu pai, cinco da minha irmã e umas vinte do meu irmão.

Liguei para meu pai que me deu a infeliz noticia. Parecia que tudo havia desmoronado tanto meu namoro, quanto minha vida.

O pingo de esperança que eu ainda tinha acabou com a noticia que eu recebi... Meu pai avisou-me que....

Capítulo 31

POV- Lua

Meu avô havia falecido. Meu avô não estava mais comigo. Eu perdi meu herói, meu imortal. Passei o resto da manhã chorando com minha família. Durante a tarde tentei voltar para o trabalho, mas no meio do caminho me vi parando na praia e sentando-me na areia. Chorei tudo que pude.

Por fim, voltei para casa. Tomei um banho e conclui que precisava de uma cosia, e uma cosia apenas.
POV- Arthur

Eu estava preocupado com a Lua. Pensei em todas as possibilidades possíveis para ela ter ido para casa mais cedo, desde uma possível gravidez (consequentemente eu ser o pai), até algo mais grave.

Por fim, a Sophia contou a todos que vira no twitter que o avô da Lua falecera naquela manhã. Fiquei com medo, preocupado. Eu conhecia a Lua, ela era impulsiva e sabia que ela era muito ligada no avô.

Fiquei com medo do que ela faria ao descobrir que o avô estava morto.

Como a Lua não estava no estúdio, a externa que eu ia gravar naquela madrugada com ela foi suspensa, e com isso eu fui liberado mais cedo.

Decidi passar na casa dela antes de ir para a minha. Chegando ao local, notei as luzes apagadas.  Toquei a campainha, mas ela não respondeu.

Tentei o celular da irmãs dela, mas nem mesmo elas sabiam aonde a Lua se metera. Liguei para o irmão, pai, melhor amigo, cachorro, papagaio, empregada, galinha, mas em fim, ninguém sabia aonde a loira metera-se.

Quando cheguei em casa recebi uma mensagem. O tamanho do meu susto ao lê-la foi indescritível.

POV- Lua

Sai de casa determinada. Havia apenas uma coisa que me faria esquecer TUDO e todos. Eu sabia que não tinha como me arrepender, pois uma vez tomada a decisão de fazer aquilo jamais poderia voltar atrás.

Capítulo 32

POV- Arthur

Quando cheguei em casa recebi uma mensagem. O tamanho do meu susto ao lê-la foi indescritível.

Na mensagem havia escrito:

“Arthur, falei com a Lua, ela não me disse onde estava, mas avisou que não ia dormir em casa nessa noite. 
Ah mais uma coisa, as 22 horas é o velório do meu avô, não sei se ela estará lá. Beijos, Anna”

Fiquei preocupado. Se ela não dormiria em casa, aonde iria dormir? Decidi trocar de roupa e ir ao velório. 
Se eu queria encontrar a Lua, o velório era o melhor lugar para começar a busca.

Chegando ao meu quarto levei um susto novamente.

POV- Lua

Cheguei ao meu destino por volta das 20 horas. Devido ao enorme cansaço decidi deitar-me. Em meio à lágrimas e a cena ridícula em que eu me encontrava, embalei-me num sonho muito estranho.

Meu sonho iniciou calmo... Eu caminhava por um local, pessoas gritavam para mim algo, porém eu não compreendia nada. Repentinamente ouvi Sophia mandando-me ficar calma, estranhei isso, mas pedi que me desse licença. Eu estava feliz, era o aniversário do Arthur naquele dia, isso era minha única certeza, além disso, faríamos um show. Fui caminhando em direção a um local, quando o vi abraçado numa menina. Estranhamente ela me pareceu familiar, eu não sabia qual era seu nome, mas tinha certeza que no futuro eu iria sentir ciúmes dela, iria culpar-me por algo que não conseguiria reverter no futuro, ao menos não antes de me machucar muito. Quando a criatura finalmente começou a se virar eu fui acordada pelo dono da casa onde eu me encontrava.
Abri meus olhos assustada. O sonho fora estranho, criara em mim uma sensação muito esquisita, como se tudo aquilo realmente fosse ocorrer no futuro. Para piorar mais a sensação de desconforto, eu ainda tinha que me explicar ao dono da cama que eu usara para tirar um cochilo.

Continua...

NOTA DA AUTORA:
Eu si que esse capítulo está muito confuso, mas o sonho será explicado num futuro próximo, e a pessoa que acordara a Lua será muito importante para ela superar a morte do avô... Só não sei se isso será bom ou ruim para o namoro, ou será ex-namoro, dela...?
Beijos da @CronicaDaAmanda

4 comentários:

  1. aaa nao, ex-namoro não, o Arthur é qm tem q fik do lado dela principalmente agr, n pode ser ex-namoro!!!!
    +++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++

    ResponderExcluir
  2. Posta mais
    Essa web é Legal mas esse capitulo foi confuso mesmo

    ResponderExcluir
  3. http://web-luar-amoryfoto.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir