08/07/2012

"Lock and Key"


Capítulo 28 e 29


POV- Arthur

Após a nossa twittcam, Lua e Chay gravaram uma música. Eu notei que, enquanto eu estava ensaiando a música que eu gravaria no dia seguinte, Lua conversava com a Mel. A cara dela não era das melhores, ela parecia tensa.

Quando retornamos para o hotel, estranhei que ela não passara-me mensagem alguma avisando-me se como iríamos nos encontrar naquela noite.

Eu estava me preparando para entrar para o banho, quando o telefone do quarto tocou.

“Alô. Quem é?” Eu perguntei.

“Oi Thur, sou eu Lua. Pode conversar?” Ela perguntou.

Esse “pode conversar” foi pior que uma facada.

“Posso, algum problema princesa?” Perguntei.

“Lembra que você queria contar para os nossos colegas sobre o namoro e eu não quis?” Falou ela.

“Lembro, mudou de ideia?” Eu perguntei, animado.

“Sim.... Cansei de esconder, na verdade, nunca quis. Só escondi para preservar o namoro.” Falou.

“Alguma ideia de como faremos para contar? Porque eu acho que como eles nos zoam tanto, a gente deveria contar de uma forma criativa.” Eu falei.

“Adorei a ideia amor, alguma sugestão?” Ela falou, chamando-me pela primeira vez de amor. Assim, depois dessa conversa, articulamos um plano que agradou a nós dois, e rendeu muitas risadas.

POV- Lua

Eu e o meu namorado (ah, como eu amo falar isso) combinamos o que faríamos para mostrar aos nossos amigos que estávamos namorando, sem que houvesse necessidade de dizer diretamente isso, nem mesmo que ficasse verdadeiramente claro o namoro.

Decidi que me preocuparia com tudo aquilo depois. Eu precisava pensar no que ocorreria no dia seguinte.

No dia 12/06/2011, comemoraria o dia dos namorados. Eu simplesmente não sabia o que dar para ele. 

Não sabia mesmo! Andava de um lado para o outro e não conseguia pensar em nada! Absolutamente nada.
Eu estava a ponto de desistir, quando tive uma ideia...

POV- Arthur

Faltava apenas um dia para o dia dos namorados, e eu não sabia o que dar para a Lua. Eu sabia que se eu desse um bom livro ela leria ele rapidamente, e provavelmente gostaria, assim como se desse uma roupa ela ficaria feliz, mas eu sabia que aquilo não era suficiente para demonstrar o quão especial ela era.

Quando todos nós encontramo-nos no hall do hotel, para retornarmos para o Rio de Janeiro, eu vi que a Sophia carregava alguns presentes que o Chay dera para ela, e que ele usava um casaco que ela provavelmente dera a ele.

No avião, no dia dos namorados, tive que sentar-me afastado da minha namorada. Isso deixara-me feliz, pois precisava ficar sozinho para planejar o presente dela. Enquanto olhava as nuvens tive uma ideia do que dar a ela.

Quando chegamos no Rio, mais uma vez, usei a desculpa de que eu e a Lua morávamos perto um do outro para pegar um táxi com ela.

Chegando na casa dela, dei um beijo rápido e disse:

“Hoje vamos jantar juntos, sem desculpas! Venho buscar você.” Avisei.

“Arthur, mas como eu me arrumo? Aonde a gente vai?” Perguntou-me ela.

“Apesar de eu amar você de vestido e saia, acho melhor você usar uma calça ou short, quanto ao resto, eu falo depois.” Avisei, sorrindo. Mal podia esperar para noite cair e ter a chance de levá-la para o nosso jantar romântico e dar o presente de dia dos namorados para ela.

Chegando em casa, liguei para uma pessoa, essa pessoa seria a responsável por me ajudar a arrumar o presente dela.

POV- Lua

Arthur deixara-me muito curiosa, o que ele planejava para nós dois naquela noite?Se eu não tivesse mais com que me preocupar, gastaria o resto do dia pensando nisso, mas eu ainda precisava arrumar o presente dele.

Após providenciar tudo que eu queria, arrumei-me, colocando um short jeans e uma blusa arrumadinha. Decidi fazer uma maquiagem leve, prendi meu cabelo que não estava coperando muito naquele dia e fiquei a esperá-lo.

Perto das oito horas da noite ele chegou. Quando abri a porta encontrei-o todo arrumado com um buquê de rosas vermelhas. Sorri e beijei-o.
Entrei no carro dele, e quando chegamos ao local da surpresa fiquei completamente boquiaberta. Aposto que ninguém pensaria que o Arthur daria aquilo para mim!


Capítulo 29

POV- Arthur

Quando cheguei para buscá-la fui surpreendido por um presente que eu desejava a muito tempo, mas que não comprava por preguiça, já que a loja ficava do outro lado da cidade.

Lua dera-me um relógio, nele havia cravado “LuAr”. Sorri, entreguei à ela um buquê de rosas, e beijei-a o melhor que pude, aproveitando cada milésimo.

Quando entramos no carro Lua começou a falar:

“Arthur, aonde vamos?”

“Não falo.” Respondi.

“Ah, dá uma pista...” Ela pediu.

Eu ia responder que não, mas quando ela fez um biquinho lindo eu simplesmente fui obrigado a dizer:
“Lua, assim é covardia, não vou resistir.”

“E se eu fizer isso você conta....?” Ela perguntou, enquanto beijava-me de leve no pescoço.

“Devo dizer que se não tivéssemos chegado ao local, eu teria contado.” Afirmei.

POV- Lua

Quando Arthur disse que havíamos chegado ao local, fiquei muito surpresa.

“Que queria levar você para o mais próximo possível da Lua, e como eu sei que você ama a praia, acho que nada melhor que um voo de asa-delta pela praia.”

Olhei-o e sorri, depois disse:

“Arthur, esse é o presente mais perfeito do mundo!”

Um instrutor nos aguardava, pelo que pude perceber, ele era um amigo do Arthur (obviamente solteiro, pois se tivesse namorada não estaria ali com a gente),nos aguardava.

Eu e Arthur pulamos juntos, aparentemente meu namorado era acostumado a fazer aquilo.

“EU TE AMO!” Gritei quando estávamos voando.

“EU AMO MAIS!” Ele gritou, e nós dois rimos.

Depois desse voo maravilhoso, fomos jantar.  Nos beijamos MUUUITO, passamos a noite juntos, com os celulares desligados, computadores desconectados e telefones fora do gancho.  Todas essas medidas foram tomadas para não corrermos o risco de sermos atrapalhados.

Na manhã do dia seguinte....

POV- Lua

No dia seguinte surgiu a oportunidade de nos apresentarmos no programa ídolos, o qual o Chay, mais que ninguém, era familiar. Nosso diretor perguntou se estávamos preparados. Por fim, após muita conversa, todos topamos o desafio.

Um dia antes da nossa grande apresentação, fomos liberados cedo do trabalho, pois precisávamos descansar, com isso, combinamos de irmos todos para a casa do Arthur assistir a novela juntos. 

Infelizmente, Micael precisou ir numa reunião da banda dele, e a Mel fora convidada para dar uma entrevista naquela noite.

Para minha surpresa, e para do Arthur também, naquele dia fora exibido o nosso beijo de língua, sem corte nem retoque algum.

Juro que quase morri de vergonha, mas, para meu profundo alivio, o Chay e a Sophia estavam ocupados demais para assistir ao beijo, já que batiam uma DR naquele instante.

Mesmo sem ensaiar muito, no dia seguinte (dia 16/06/2011), nos encontrávamos prontos para a apresentação.

No ensaio final, tudo deu errado. Erramos a letra, a posição no palco, a coreografia, em sumo TUDO! Fora um desastre total! A Mel estava a ponto de ter um ataque de nervos, já eu encontrava-me muito tensa.
Acalmei-me apenas quando encontrei-me com o Arthur.

“Nervoso?”Perguntei, sabendo que ele jamais havia feito uma apresentação daquele tipo.

“Sim, muito e você?” Perguntou-me.

“Muito.” Falei, olhando nos olhos dele. Rapidamente, imperceptivelmente, eu roubei um beijo dele.

“Agora estou mais calma.” Respondi.

“Eu vou precisar de pelo menos mais dois beijos para me acalmar.” Respondeu-me ele, sorrindo nervosamente.

“Nossos amigos estão vindo...” Falei. “Quer começar a por o plano em prática?”

POV- Arthur

“Eu vou precisar de pelo menos mais dois beijos para me acalmar.” Respondei, sorrindo nervosamente.
“Nossos amigos estão vindo...” Lua respondeu, para minha tristeza. “Quer começar a por o plano em prática?”

Sem opção melhor, resolvi aceitar. Quando nossos amigos chegaram mantivemos nossas mãos dadas. Não preciso sequer comentar que eles notaram e comentaram a respeito desse nosso gesto, porém simplesmente os ignoramos.

Quando começamos a ouvir a gritaria da plateia senti uma ansiedade estranha, uma carga enorme de adrenalina, mas principalmente uma vontade inacreditável de correr para o palco e fazer o melhor possível.

POV- Lua

Quando o show acabou ainda sentia-me tremendo, na hora de sair do palco senti minha mão sendo puxada como um imã em direção à mão do Arthur.

Ao sairmos do palco todos nós nos abraçamos. Passado aquele momento de enorme adrenalina, Sophia e Mel vieram me questionar novamente sobre minha mão e a do Arthur estarem grudadas durante antes do show.

“Mãos dadas? Eu e o Arthur? Vocês só podem estar loucas.” Falei, me matando de rir por dentro.

POV- Arthur

Na saída do palco, Lua segurou minha mão bem forte, e ao sairmos da vista de todos não aguentei-me beijei-a. Enquanto as meninas trocavam de roupa e tiravam a maquiagem, Chay e Micael vieram incomodar-me novamente.

“Pô cara, você vai admitir que gosta da Lua quando?” Perguntou-me o mais alto.

“Ela é minha amiga apenas Não vou mais responder isso.” Eu disse, louco para explodir de rir.

Depois do show fomos todos jantar. Nos momentos que ninguém nos olhava eu e Lua trocávamos olhares. A noite foi boa, ou melhor, as próximas três semanas foram...

Quando estávamos perto de nossos amigos não demonstrávamos ser namorados, porém, deixávamos claro que gostávamos um do outro. Lembro-me bem da cara hilária que a Mel fez quando a Lua mexeu em meu cabelo e em seguida deu-me um beijo na bochecha.

Eu já devia suspeitar que algo de muito ruim estava por vim. Eu e a Lua tivemos uma discussão boba, sem sentido algum, e para piorar eu não estive lá quando ela mais precisou de mim, quando a fatalidade ocorreu...

Continua..

4 comentários: