02/07/2012

"My first love"


Capitulo 105 e 106


            A uns seis, sete meses atrás, participei de uma prova no curso de inglês que daria direito a uma bolsa de estudos em Londres, como um intercambio, por um período de seis meses que poderia ser estendido por até um ano e meio a depender do desenvolvimento e rendimento do aluno. Eu participei na verdade como experiência, nunca passou pela minha cabeça sair do país e ir estudar fora. Mas por sorte, ou azar, fui selecionada. E isso me deixou extremamente confusa.
            Eu precisava de um momento distante do Arthur, para que eu pudesse esquecê-lo, viver minha vida e permitir que ele continuasse vivendo a dele. Mas ir pra tão longe não era minha intensão. Não sabia se negava logo aquela proposta sem nem mesmo consultar os meus pais, ou se deveria pensar melhor sobre a situação. Afinal não era todos os dias que essas oportunidades batiam na nossa porta.
            Fiquei muito em duvida se deveria aceitar ou não a viagem a qual seria toda paga pela instituição que realizou a prova juntamente com o meu curso. Não era tanto pelo valor financeiro, pois ainda bem, minha família tem condições suficientes pra me proporcionar viagens e me manter lá, o caso é o que isso me proporcionaria em relação a conhecimento, cultura, e amadurecimento.
            Tinha um período de quinze dias para me resolver se aceitaria ou não a viagem. A qual seria a daqui aproximadamente um mês, mas precisamente na segunda quinzena de março.
            Voltei pra casa com meu irmão que tinha ido me buscar com Gabi, e permaneci completamente muda no carro. E minha amiga claro que percebeu que eu estava estranha.
            - Lu, tá tudo bem com você? – Gabi me perguntava.
            - Tá... Tá tudo bem sim – fui seca, estava me tremendo por dentro.
            - A mais não tá bem mesmo dona Lua, te conheço, abre o jogo vai – Peu perguntava me deixando ainda mais nervosa.
            - Não é nada tão importante gente, só preciso pensar um pouco – falei tentando me acalmar – Depois a gente conversa tá?!
            Ainda bem que chegamos logo em casa, não aguentaria ser questionada e falar mais sobre esse assunto, precisava pensar primeiro em todas as hipóteses.
            Ao entrar em casa fui surpreendida com Arthur logo na sala. Ele era a ultima pessoa que eu precisava encontrar hoje.
            - Oi pequena, tudo bem com você?
            - Tudo sim, e você? – tentei parecer natural, mas sentia um aperto no peito e sabia que poderia desmoronar em lagrimas a qualquer momento.
            - Eu estou bem, mas já estive melhor – ele soltava aquele sorriso torto que eu amava, era golpe baixo – Peu me falou que o Matheus tá te rondando novamente, é sério isso?
            - Peu fala demais, eu avisei que era pra te deixar fora disso – falei nervosa – Ele simplesmente soube que eu estou solteira e veio tentar se reaproximar, nada demais. Pedro é que já fica querendo armar confusão com todo mundo.
            - Pode deixar que eu vou tentar acalmar seu irmão, e por falar nele, aonde ele está que ainda não entrou? – ele perguntava olhando pra porta da frente.
            - Foi deixar a Gabi em casa, acho que não vai demorar – falei tentando mudar logo de assunto.
            - Lua, filha já chegou? – minha mãe vinha falar comigo com um papel na mão – Tenho uma noticia pra você, só que ainda temos que sentar e resolver tudo.
            Não entendi o que ela quis me dizer até me mostrar o papel que ela segurava. Não podia ser! Essa viagem estava me perseguindo.
* * *

Capitulo 106

Narrador Observador

            Como a Lua era menor de idade, a convocação era feita com o próprio aluno no local do curso, e uma carta contendo todas as informações necessárias, era enviada para residência do aluno endereçada aos pais, para que os mesmos tomassem conhecimento de tudo que aconteceria.
            A reação de Lua ao ver que a mãe já sabia da viagem, foi subir correndo pro seu quarto sem nem falar nada com a mãe ou com o Arthur. Trancou-se lá dentro e caiu na cama chorando.
            - O que aconteceu com ela? – Arthur perguntou à senhora Maria Claudia.
            - Não entendi essa reação dela, não esperava por isso – a mãe de Lua respondeu Arthur mostrando-o apenas o papel da convocação da Lua. Ela estava ainda sem entender a reação que a filha teve, afinal, se ela fez a prova esse era um resultado a ser esperado, por mais difícil e concorrido que fosse.
            Ao ver o semblante de Arthur ao ler aquele papel, ela começou a entender a reação da filha. O menino estava tão nervoso que franziu o cenho, ficou pálido e se apoiou na mesa da sala. Ele também estava incrédulo.
            - A Lua... Ela... Ela vai aceitar essa viagem? – ele perguntava gaguejando e visivelmente nervoso.
            - Não sei meu lindo, essa proposta chegou hoje, nem conversei com ela sobre isso, mas eu e o Billy fazemos muito gosto que ela vá sim... – ela começou a responder, mas nem teve tempo pra terminar, Arthur já passava pela porta igual a um foguete.
            - Arthur, você não estava esperando o Pedro? – ela gritava saindo pela porta, mas o menino já atravessava o portão.
            Não demorou muito pra Pedro surgir na sala.
            - Mãe, o Arthur e a Lua brigaram ou algo assim? – Pedro entrava questionando a mãe – Encontrei com ele saindo igual um louco com o carro.
            - Não filho, eles estavam até bem conversando aqui na sala, mas acho que cheguei com uma noticia não muito boa pra ele numa hora inadequada para os dois – ela se explicava novamente mostrando a carta de convocação a Pedro – Mas já te avisando que não conversamos com sua irmã ainda.
            - Então foi por isso que a Lu veio muda do curso até em casa – ele percebeu logo que esse era o motivo de aflição da irmã, ela não queria se afastar do Arthur – Ela não quer ir mãe, tenho certeza disso.
            - Filho, isso será decidido por mim, seu pai e sua irmã. Não torne as coisas mais difíceis – ela explicava a Pedro tentando acalma-lo.
            - Mãe ela não quer ficar longe do Arthur, ela ama o cara, não é justo com eles dois isso – Pedro se exaltava a falar com a mãe – Mãe, por favor, não deixa a Lua fazer isso.
            - Pedro se acalme! A Lua não vai ser obrigada a fazer nada que realmente não queira. Desse jeito você só vai deixa-la mais nervosa – ela falava com Pedro que já saia novamente de casa – Aonde você vai mocinho? Acabou de chegar.
            - Vou resolver uma coisa, não demoro – passou pela porta a batendo sem dar muitas explicações.           
* * *
Continua..

10 comentários:

  1. AAAAAAAAAAAAAAAAh, eu vou morrer :O
    Agr é só amanhã :((
    Vc é mto bom menina, vc deveria ter mais webs aq no blog, sério msm XD
    Louuuca para o próximo capitulo, vc poderia nos dizer quantos capitulos mais ou menos vai demorar para eles voltarem? Pleaase :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não sei ao certo o capitulo agora... mas n demora n!

      Excluir
  2. posta ++++++++++++++++++++++++++++++++

    ResponderExcluir
  3. posta mais por favor!!!!! coloca os dois juntos

    ResponderExcluir