03/07/2012

"My first love"


Capitulo 109 e 110


POV Arthur

            Realmente ver aquela convocação no nome da minha pequena e saber que ela pode ir pra tão longe de mim não me agradou nem um pouco. Sair da casa dela sem ao menos dar tchau a ninguém. Vim pra casa, mas ao entrar aqui tudo me lembrava ela, minha vontade era de encher a cara, e desaparecer.
            Sair novamente falando que não tinha hora pra voltar. Fui até o bar que a galera da faculdade costuma se reunir, mas não tinha ninguém conhecido lá hoje. Pensei em beber, mas isso não era minha cara, não adiantava tentar me matar afogado em um copo de álcool que isso não me faria esquecer a Lua, nem de todas as lembranças que ela me trazia.
            Foi então que pedir um misero suco de laranja e fiquei sentado pensando na minha vida. Não demorou muito e o Pedro apareceu lá também. Na verdade ele foi atrás de mim. Devido à convivência não era muito difícil saber onde nos “escondíamos” às vezes.
            Ele veio com uma historia de que não iria mais atrapalhar meu namoro com a Lua, que eu a procurasse e não a deixasse viajar, mas a essa altura eu não tinha o direito de fazer isso. O jeito seria me conformar com a decisão dela, não vai ser nada fácil ficar aqui sem a ter por perto, mas estou disposto há esperar o tempo que for preciso pra poder tentar novamente.

POV Lua

            Deveria ter imaginado que meus pais ficariam sabendo da viagem de alguma forma, mas não precisava ser na frente do Arthur. Realmente depois de muito pensar, cheguei à conclusão que essa era a chance que precisava pra me distanciar de tudo isso. Não era fácil viver com a sensação de que a qualquer momento ele poderia aparecer com uma namorada nova, afinal ninguém é de ferro e obrigado a ficar preso a uma pirralha. Essas coisas acontecem com todo mundo e não seria diferente com a gente.
            Eu também não me sentiria bem se começasse a namorar alguém e tivesse que conviver com o Arthur por perto. E esse tempo distante com certeza faria a gente superar isso.
            Por outro lado, ao pensar em ficar distante dos meus pais, do meu irmão, e das minhas amigas não me agradava em nada. O que seria de mim sem a Soph, a Mel e a Gabi por perto? Certo que só são seis meses, mas quem me garantiria que seria fácil fazer amizade com alguém lá?
            Adormeci com todas essas ideias na cabeça e acordei com minha decisão tomada, só faltava falar com meus pais.
* * *

Capitulo 110

            Arrumei minhas coisas pra ir pra escola, afinal ainda era sexta feira e a vida segue normalmente até que seja oficializada qualquer decisão. Meus pais já tinham saído pra trabalhar, segundo a Sonia, foram adiantar algumas pendencias da empresa, o que nem me interessava muito.
            Meu irmão ainda dormia, hoje a aula dele seria somente a tarde. O jeito foi apelar para o motorista me levar à escola.
            Chegando lá, Sophia e Mel logo perceberam que eu estava diferente. E Mel logo deduziu que tinha algo relacionado ao comportamento do Arthur ontem e a aflição do Pedro ao ligar atrás dele. Desconversei logo, mas Gabi se aproximou perguntando se eu estava melhor. Foi a conta pra começar os questionamentos.
            - Lua, fala logo. O que está te deixando assim? – Soph questionava séria cruzando os braços na frente do corpo.
            - Pra mim tem dedo do Arthur ai nessa história – Mel demonstrava segurança no que dizia.
            - Ainda é sobre a viagem? – Gabi perguntava, já sabendo da história, mas como assim? Não contei pra ninguém. O Pedro!
            - VIAGEM?! – Mel e Soph falaram em uníssono sem entender.
            - Eu ainda corto a língua do meu irmão – falei furiosa e ainda fiz o gesto da tesoura com os dedos. Teria que explicar tudo novamente sem nem ter certeza de nada ainda. Mas fui salva pelo sinal do inicio das aulas – Vamos pra sala depois a gente conversa.
            Durante as três primeiras aulas tive que aguentar além dos professores de matemática e historia com suas aulas irritantes, a Soph e a Mel me mandando bilhetinhos.
            “Amiga conta logo, que viagem é essa?”
            “Cunhadinha, você vai pra onde sem avisar a gente?”
            “Por favor, me conta antes do intervalo!”
            “Vai nos abandonar? O que meu irmão tem haver com isso? Eu mato ele!”

            Aff! Isso durou a aula inteira, quase fico maluca com essas duas. E a Mel ainda julgava o Arthur. Coitado, tudo de ruim comigo era sempre atribuído a ele. Enfim o sinal toca novamente, e chegou o tão esperado intervalo pras meninas. Mal o professor deixou a sala e elas já caiam em cima com mil perguntas.
            - CALMA! – falei irritada já – Vamos pra cantina encontrara Gabi que falo tudo de uma vez só.
            Não demorou muito pra encontramos, ela já vinha em nossa direção pra saber de tudo também.
            - Lu, antes de qualquer coisa, seu irmão só me contou porque liguei pra ele ontem e percebi que ele estava nervoso demais. Não o culpe – Gabi tentava defender Peu que já tinha contado pra ela.
            - Ok! Sei que ele não fez por mal – a respondi deixando-a mais tranquila – Mas ele tem que deixar essa mania de envolver todo mundo nos meus problemas.
            - Da pra contar pra gente ou tá difícil? – falava Soph já impaciente com tudo aquilo.
            - Tá bom! É porque ontem eu recebi um comunicado de que fui aprovada na seleção da bolsa de estudos em Londres – falei de uma vez e fiquei aguardando a reação delas.
            - AMIGA! Isso é tudo de bom! É claro que você vai não é? – falou a Soph irradiante, pra ela qualquer lugar da Europa era tudo de bom!
            - Quer dizer que você vai, e foi por isso que meu irmão ficou daquele jeito? – Mel, não demonstrou tanta felicidade. Ela sabia muito bem que não seria fácil pra mim nem para o Arthur tudo isso.
            - Calma gente, eu ainda não tenho nada confirmado, fui pega de surpresa ontem, nem conversei com meus pais sobre o assunto – respondi rápido antes que fosse interrompida por mais perguntas – E de certa forma sim Mel, foi por isso que seu irmão ficou daquele jeito. Ele estava lá em casa quando minha mãe veio falar comigo, mas nem conversamos nada. Não deu.
            Ao lembrar isso meu coração ficava pequenininho, esmagado ao imaginar ficar distante dele.
            - Ai amiga, seu irmão tá arrasado ao te imaginar longe dele. O Arthur também ficou um caco, segundo o Pedro. Mas eu espero que você faça o que for melhor pra você – Gabi falava com os olhinhos brilhando.
            - Perai meninas! Não me façam chorar mais tá?! Vou resolver isso, e caso resolva ir, ainda temos um mês pra ficarmos juntinhas.
* * *
Continua...

9 comentários:

  1. se ela for a web vai ficar muito chata !!!

    ResponderExcluir
  2. Maiis *---* Muito curiosa pra saber a decisão dela!

    ResponderExcluir
  3. posta mais por favor!!!!!!!!!tenta postar um ainda hoje se não eu nem durme e nem janto de tão anciosa para saber

    ResponderExcluir
  4. ain ela nao pode ir , mas se ela for e volta mais madura ela vai ficar de mais , so que orthur tinha que arrumar uma namorada coitadoo kk , ou sei la ...

    ResponderExcluir
  5. ela ñ pode ir vai fik mt xato meu......posta mais obgd

    ResponderExcluir
  6. Se ela viajar apenas por uns seis capítulos por mim tudo bem!!!

    ResponderExcluir
  7. Não faz ela viajar não vai ficar ridiculo eles já estão separados na vida real nãovão ser felizes nem na Web isso me angustia não vou mais ler

    ResponderExcluir