25/07/2012

"My first love"



Capitulo 172 e 173

           
            Acordei cedo, todos ainda dormiam, fui ao quarto da minha mãe avisar que já estava saindo. E depois passei no da Melzinha pra dar um beijo nela. Ver minha irmã naquela situação me deixou com vontade de matar Luciana. Mas a Lua também vai acreditar em tudo que escuta. Mel acordou e pediu pra que assim que eu conversasse com a Lua avisasse a ela.
            Concordei e fui logo saindo. Na estrada enquanto dirigia fui me lembrando de diversas coisas que passamos juntos, dos beijos escondidos na casa dela, do namoro conturbado, das discussões bobas, do período de reconciliação antes da viagem, da noite na piscina... Tudo vinha na minha cabeça como um filme. E um medo dela não me aceitar de volta tomou conta de mim. Senti meus olhos lacrimejarem e a vista embaçar, por sorte já estava chegando, ou eu teria que parar na estrada pra não causar nenhum acidente.
            Ao chegar à porta daquela casa que já foi cenário de tanta coisa boa e intriga pra nós dois um aperto tomou conta do meu peito. Era uma sensação estranha, sensação de que alguma coisa sairia errada, mas ao mesmo tempo era uma sensação de conforto, de finalmente está livre pra poder viver todo aquele amor.
            O portão da frente estava aberto, o caseiro de anos estava mexendo no jardim, e não fez imposição a minha presença. Por certo Lua não o avisou de nada, por não esperar visita aqui. Ao adentrar no interior da casa, me deparo com tudo em silencio. Exceto barulho de louças vindo da cozinha. Avistei então dona Dolores, uma senhora que trabalhara ali já há algum tempo. Ela me recebeu muito bem, e me avisou que Lua estava dormindo ainda.
            Pediu ainda que eu levasse uma bandeja com algumas coisas pra ela, pois desde que chegou não se recordava de ter visto minha menina comendo nada, a não ser algum suco quando passava pela cozinha. Era bem a cara da Lua fazer esse tipo de coisa quando ficava triste.
             Ao entrar no quarto dela, o perfume já me acalmou. Vê-la dormindo como um anjo me deixava sorrindo bobo. Sentei então no sofá do quarto e fiquei a observando dormir, como já tinha feito a muito tempo atrás. Ela estava com uma daquelas camisolinhas que me matavam, e se movimentava muito enquanto dormia, fazendo aquele misero pedaço de pano se embolar e descobrir seu corpo. Eu fiz de tudo pra não ficar olhando, não era momento pra isso, mas foi ficando cada instante mais difícil. Quando avistei que a minúscula calcinha dela já estava completamente exposta resolvi cobri-la com um lençol que provavelmente ela utilizou quando foi se deitar e estava nos pés da cama.
            Mas ao embrulha-la ela despertou.
            - ARTHUR! – ela grita me fazendo olhar pra ela assustado – O que você quer aqui?
            Ia ser difícil, a fúria no olhar dela não me enganava.
* * *
Capitulo 173

            Começamos a discutir, do nada, ela dizia que eu estava me aproveitando dela naquela situação.
            - Lua, por favor! Presta bem atenção em como está vestida, ou melhor, despida, e veja se eu precisaria encostar tanto na cama pra ver algo? – eu falei fazendo com que ela parasse e olhasse pra si mesma com aquela camisola embolada na sua cintura.
            - PARA DE OLHAR! – ela gritou logo ao perceber como estava, e concertando logo a roupa.
            - Eu simplesmente vim te cobrir, não sou de forçar a barra com essas coisas, mas também não sou de ferro – comecei me explicando e aproveitei logo pra falar sobre o real motivo de está ali – Eu vim até aqui porque precisamos conversar não acha?
            - Eu não acho mais nada, acho apenas que deixei bem claro que eu queria ficar sozinha, mas já vi que você não entendeu – ela se levantava e ficando de frente pra mim alterava um pouco a voz.
            - Eu entendi que queria ficar sozinha, mas eu preciso entender o que te fez tomar essa atitude! – falei tão nervoso quanto ela.
            Eu não poderia ser grosso, mas também não aguentaria aquilo tudo calado. Ela tem tanta culpa quanto eu.
            - Arthur, eu já aceitei ser sua madrinha de casamento, da pra me deixar em paz e parar de me humilhar agora? – ela falava apontando pra fora do quarto.
            - Não adianta tentar-me por pra fora, eu só vou sair daqui depois que conversarmos e acertarmos todo esse mal entendido – falei ficando impaciente – Pra começar, mesmo sem entender o motivo de você ter fugido de mim desse jeito, eu queria pedir apenas que você não descontasse nossos problemas na minha irmã.
            - Não sei do que você está falando – ela falou ficando séria e cruzando os braços na frente do corpo, como uma garotinha mimada.
            - Eu vou tentar te lembrar então – falei começando logo a longa história – Quando você quiser acreditar na Luciana, ou seja lá qual foi o problema, lembra que você tem amigos que gostam realmente de você, que fazem de tudo pra te ver feliz, e a Melanie é uma delas. Eu estou sofrendo muito por tudo isso que está acontecendo, mas sofri ainda mais quando cheguei em casa ontem e encontrei minha irmã arrasada por ter tentado te animar e você tê-la tratado mal. Não desconte a raiva que você tem de mim nela.
            - Eu não descontei raiva nenhuma em ninguém, só estava nervosa e não queria ouvir falar de você – ela começou a falar e depois se auto discordou – Tá bom! Eu posso ter sido grossa, mas não gostei nem de pensar que ela que sempre mostrou uma opinião pra mim, poderia ter mudado tão rápido e nem me alertado.
            Ela me contou tudo que Luciana falou pra ela, e eu contei tudo o que realmente aconteceu. Ela não demonstrou está surpresa. Parecia que de fato ela sabia que tinha exagerado nas atitudes de fugir sem falar nada.
            - Você já parou pra pensar que isso tudo que a Luciana te contou pode ser mentira? – eu perguntei, ouvindo um silencio como resposta.
            Aquele silêncio durou alguns minutos, que mais pareciam horas.
            - Eu sei que sou uma boba, sei que a culpa de tudo isso acontecer é minha, sei que sempre fui eu que tomei as atitudes pra acabar com tudo – ela sofria pra poder falar aquilo tudo – E mais uma vez eu agir de forma imatura e errei.
            - Será que nem por um minuto passou pela sua cabeça, que eu realmente te amo? Que eu quero você do meu lado? – perguntei.
            - Não adianta fazer esse tipo de pergunta agora, e jogar tudo na minha cara. Eu sei que eu errei, já falei isso – ela começava a chorar – E é justamente por nunca fazer nada certo que eu acho que não adianta mais a gente tentar.
            - Você tá querendo dizer que vai desistir de tudo mais uma vez?
            - Se não vai dar certo não adianta mais tentar – ela tentava parecer firme e enxugava as lagrimas dos olhos.
            - Me escuta pelo menos em uma de nossas discussões? – eu clamava por aquilo.
            - Não sei se vale apena tentar e sofrer tudo novamente Arthur. Se eu não fui capaz de acreditar em você numa situação desta. Se eu não fui capaz de tentar conversar antes de meter os pés pelas mãos e quase estragar tudo – ela falava voltando a chorar.
            - Eu entendo que tenha medo, que se sinta culpada, mas não é assim, não foi sempre assim. Você errou, mas não errou sozinha – eu tentava amenizar o sofrimento dela – Eu também fui imaturo anos atrás de não ter enfrentado seu irmão, de ter aceitado um pacto idiota, de ter aceitado terminar tudo quando o que eu mais queria era te ter por perto. De deixar você entrar naquele avião e nunca ter ido te ver. De aceitar você me humilhar e ficar quieto. De ficar com sua amiga pra te provocar e quase me casar com ela sem amor.
            Agora quem chorava era eu.
            - Eu acho que não dar mais, tudo desgastou, não vale apena – foram as ultimas palavras dela.
* * *
Continua..

10 comentários:

  1. NÃAAAAAAAAAAAAAAAAAAAO NANA , PF NAO FAAZ ISSO ' POOSTA MAAIS HOOJEE AAINDA PF '

    ResponderExcluir
  2. Anem, a Lua ta muito dificil!! Fala serioo! Posta mais hoje please!

    ResponderExcluir
  3. NÃO PODE SER!!!!! Nana eles precisam ficar juntos!!! posta mais por favor!!!!

    ResponderExcluir
  4. ah não fala sério faz mo tempao k eles so brigam, td bem que uma web n é feita so de felicidade, mas fl serio ne? tbm n e feita so de tristeza n, to cansada ja disso de n vai dar certo, affs, eu amo a web, mas ta ficando xato isso :(
    posta mais........

    ResponderExcluir
  5. posta maisssssss PELO AMOR DE DEUS

    ResponderExcluir
  6. Aguarde os próximos capítulos... kkkkkk *-*

    ResponderExcluir