07/08/2012

"A Bela e a Fera"


Capítulo 16


POV- Lua

Depois de um jantar muito divertido, um tanto micástico, num restaurante aberto apenas para gente, Diego levou-me para casa.

Chegando lá, ele beijou-me na porta de casa e, enquanto eu abria a porta, continuou o mesmo ato. Quando destranquei a porta ele entrou junto comigo e caímos em cima do meu sofá, fazendo um forte barulho.

Os beijos foram ficando quentes, as mãos dele mais assanhadas, minha respiração ofegante e meu coração acelerado. Ele estava indo desabotoar minha camiseta quando empurrei-o para longe de mim.

“Dii... Por favor, para.”

“Lua, eu fiz algo de errado?” Ele perguntou preocupado.

“Não, você foi maravilhoso....” Eu disse.

“Então o que foi? Há algum problema? Ele perguntou, ainda preocupado.

“Eu, eu, eu sou virgem.” Eu disse, um tanto envergonhada.

Diego olhou-me assustado, impressionado e falou:

“Ah.”

“Ah?! Eu entendo se você quiser ir embora, ou desejar uma garota mais experiente, mas eu não estou preparada ainda.” Eu disse encabulada.

“Não, eu vou ficar aqui com você. Vou dar tempo ao tempo e quando você estiver preparada eu estarei aqui ao seu lado.” Ele disse.

POV- Arthur

Depois de descobrir que Lua ainda permanecia virgem fiquei feliz, mas receoso. A chance de eu fazer alguma burrada e perde-la novamente era enorme.

Após a descoberta, fiquei na casa dela por mais algumas horas, aproveitando apenas o sabor de seus lábios.

Quando cheguei em casa fui direto dormir. Estava exausto. No dia seguinte, encontrei com ela novamente. 

Almoçamos juntos e conheci os amigos delas. Alguns deles eu conhecia da época que eu frequentava a escola, mas nenhum deles fora meu amigo.

Enquanto Lua conversava com eles, eu fui pensando na vida. Eu jamais havia namorado, ela jamais havia namorado (isso eu achava ao menos), os amigos delas todos possuíam namorados, portanto, estava mais que na hora de eu pedi-la em namoro.

Lua era doce, meiga, especial, resumindo ela era perfeita e o meu pedido de namoro não podia ser nada menos que isso. Infelizmente, eu não tinha a menor ideia de como fazer isso.

Meu primo não pareceu gostar muito da minha ideia. Quando contei ela para ele, o mesmo disse:

“Arthur, você já parou para pensar que quanto mais próximo dela você fica maior será a mágoa dela quando ela descobrir a verdade?”

“Cara cala a boca. Ela não vai descobrir.” Eu respondi.

“Você me disse que ela é virgem. Então pense como será quando ela descobrir que quem dormiu com ela era uma farsa. Ela vai achar que você estava usando ela.” Diego me disse.

Ignorei os conselhos do meu primo e, mais uma vez, chamei a Lua para um encontro misterioso, porém dessa vez o local e minhas intenções mudaram.

POV- Lua

Diego era um cara mais que misterioso. Eu não sabia qual era sua família, ele não saia muito com os colegas dele e, mais uma vez, chamara-me para sair sem me contar aonde íamos.

Quando o mesmo veio me buscar, dessa vez em um outro carro, percebi que ele estava mais alegre que o normal.

Logo ao abrir a porta, recebi um buquê de flores e ao chegar no porto da cidade, Diego....

Continua...

6 comentários: