06/08/2012

"My first love"


Capitulo Especial 5 e 6


POV Lua
           
            Ansiedade era meu nome, antes de abrir o exame já me veio um embrulho no estomago. Um enjoo absurdo devido ao meu nervoso. Corri para o banheiro sem nem mesmo olhar. Enquanto me recuperava ouvir uma batida na porta do consultório, sequei o meu rosto que acabara de lavar e avisei que poderia entrar.
            - Luinha que cara é essa? – Mel me olhava assustada.
            - Cara... Que cara? Nada, não foi nada – tentei parecer o mais normal possível.
            - Amiga, talvez se eu tivesse te conhecido ontem eu acreditaria. Alguma coisa tá acontecendo – Mel me encarava irônica.
            - Alguma coisa que eu comi não me fez bem. Foi só isso. Não precisa se assustar. – falei terminando com uma piada – Se não fosse eu ter certeza da diferença de idade entre você e o seu irmão eu apostaria que eram gêmeos, as mesmas caras, mesmas manias, mesmas suspeitas.
            - Ok, mas eu me preocupo mesmo, além de minha amiga é minha cunhada linda por quem meu irmão seria capaz de morrer. – ela completou sorrindo.
            - Comenta nada com ele não. É capaz de querer me internar. – falei caindo na risada com ela.
            Conversamos mais um pouco, abrir outras abas no computador pra que ela não visualizasse a do laboratório e contava os segundos pra poder ficar sozinha ali. Foi quando ouvimos o bip dela tocando, era algo na emergência, a desejei sorte, e ela logo sumiu pelo corredor do hospital.
            Era agora!
            Ao visualizar aquilo tive um misto de felicidade, ansiedade, realização, emoção, e não sei mais o que era aquilo. Minha vontade era apenas de correr gritando pelos corredores que ia ser mãe, ligar para Arthur e conta-lo logo, mas não. Aquela não era uma noticia pra ser dada dessa forma. Só sentir as lágrimas molhando o meu rosto, lagrimas de felicidade. Não demorei muito pra me recompor, afinal teria que me explicar e não contaria isso pra ninguém por nada.
            Naquele mesmo instante liguei pra casa e pedir pra Lucia, nossa empregada, fazer o prato preferido do Arthur para o jantar, avisei também que assim que tivesse tudo pronto estaria dispensada. Eu precisava fazer uma surpresa pra ele. Assim que acabei meu plantão, corri no shopping que havia no caminho entre o hospital e nossa casa, fui até a primeira lojinha de artigos pra criança que encontrei e queria algo pra poder contar para o Thur. A atendente logo me sugeriu os sapatinhos, achei ótima a ideia, além do mais eu não teria tanto tempo assim pra escolher.
            Cheguei em casa, tomei um banho, verifiquei o jantar, estava tudo certinho. Faltava pouco mais de quinze minutos pras 19:00, horário que ele sempre chegava.
Triste engano, justo hoje ele se atrasou. Passou vinte minutos... Quarenta... 20:30 e nada do Thur chegar. Resolvi ligar pra ele, afinal com tanta violência nos dias de hoje o atraso me deixou preocupada.
            Ao atender o celular vi que estava num lugar com muito barulho, ao perguntar ele me respondeu que estava com meu irmão, o Chay e o Mica comemorando algum contrato que a empresa fechou hoje. Pedi pra que ele voltasse logo pra casa, pois tinha uma surpresa o esperando, e ele me avisou que não demoraria.
            Passou então mais 20 minutos, tempo suficiente do local onde ele disse que estava até minha casa. 22:15 da noite, esse foi o horário que ele resolveu aparecer. Chegou em casa e encontrou todas as luzes apagadas, porem fiz questão de deixar a mesa posta e a pequena caixinha na frente do local que era dele.
            Eu já tinha ido pro quarto, me acabava de chorar. Guardei tanto segredo pra promover a ele a noticia que ele tanto queria e era isso que ganhava, fui trocada por uma comemoração de um contrato da empresa. Eu sei que os hormônios da gravidez já estavam mexendo comigo, e que minha sensibilidade já estava alterada. Mas não me controlava. Ao ver os passos do Thur se aproximando do quarto, só tive a reação de tentar enxugar minhas lagrimas e não parecer tão arrasada quanto estava. Minha vontade era de mata-lo, mas nem isso eu tinha força pra fazer.
            Sentada na minha cama abraçada com os joelhos aonde apoiava o meu rosto eu pude sentir sua presença ao entrar no quarto e apoiar-se com os ombros na porta me encarando. O seu rosto parecia o de um bebê, um sorriso bobo se misturava as lagrimas que escorriam pelo rosto e os olhos, ah os olhos brilhavam como nunca tinha visto antes. Eu não poderia amolecer com isso, não podia.
            - Me perdoa por estragar a melhor surpresa que você poderia fazer por mim? – foi o que ele engasgado conseguiu dizer.
* * *

Capitulo Especial 6

POV Arthur

            Aquele dia foi normal, no fim da tarde a empresa fechou um contrato significante com uma grande multinacional e o Mica deu ideia de sairmos um pouco, colocar os papos em dia e comemorar esse contrato. Depois da vida de casado a gente acabou diminuindo esse contato só nosso, mesmo com Peu e Chay sendo meus cunhados o contato era na empresa, ou alguma social quando dava, os horários das meninas nunca eram favoráveis aos nossos e final de semana acabávamos curtindo nossa casa mesmo.
            Nem avisei nada a Luinha, afinal achei que não demoraria. Quando dei por mim já passavam das 20:00 e ela me ligava. Falei que não iria demorar, ela me disse que tinha uma surpresa pra mim, a qual eu não fazia ideia do que pudesse ser, e que apesar de ter ficado curioso resolvi permanecer mais um pouco. Na hora de ir embora Chay me pediu uma carona, pois seu carro tinha ficado com Mel hoje e como já passava do horário dela está em casa ele teria que ir de taxi. Logo concordei em leva-lo. Ao chegar a casa deles nem entrei, deixei-o ali na porta mesmo afinal a casa era distante e Luinha me esperava com sabe lá Deus o que.
            Devido a um acidente no caminho voltando pra casa, peguei um engarrafamento terrível, teria ligado pra Lua pra avisa-la pra que ela pudesse ir dormir, se não fosse o meu celular descarregar na hora em que mais precisava dele. Por que isso sempre acontece hein? Fui olhando pra todos os lados no intuito de achar pelo menos um telefone publico o que naquele caminho não seria fácil.
            Já se passavam das 22:00 horas quando cheguei. Ao adentrar em casa e ver as luzes da sala apagadas com apenas uma pequena luminária que continha ali acesa, iluminando a mesa, e eu pude ver que ali tinha alguma coisa. Mesa posta pra dois, tudo bem arrumado e uma pequena caixa com um laço vermelho em frente ao meu lugar na mesa. Tentei me recordar se era alguma data em especial, mas não era e eu tinha certeza disso.
            Ao pegar o pequeno embrulho sentir que era algo leve, mas nunca que aquilo passou pela minha cabeça. Ver aqueles pequenos sapatinhos me fez sentir o homem mais feliz do mundo, porem o mais imbecil. Minha pequena deve tá querendo me matar, e se ela não fizer isso, eu mesmo faço.
            Corri em direção as escadas e chegando a porta do quarto com um sorriso idiota que não conseguia me livrar, e me assustei em vê-la daquela forma toda encolhida numa pontinha da cama. Pude ver pelo movimento dos seus ombros que ela chorava. Como eu pude fazer isso com ela?
            - Me perdoa por estragar a melhor surpresa que você poderia fazer por mim? – comecei a falar completamente engasgado, vendo ela me olhar com aquele rosto vermelho de quem se acabava de chorar – Eu sei que eu não mereço, não mereço nenhum tipo de consideração, nenhuma palavra doce, nenhum abraço, não mereço nada do que você faz por mim, mas eu te amo! Me perdoa por te fazer chorar, me perdoa, me perdoa por favor?
            Eu me aproximei de onde ela estava, tentei tocar no rosto dela a qual o virou sem me deixar aproximar o que fez meu coração doer ainda mais. Ela me olhava com os olhos de fúria, mas com um semblante doce e inocente de quem se sentia desprezada.
            - Você é a única pessoa capaz de me fazer feliz nessa vida, cada dia mostra isso ainda mais. E eu não sou digno de nenhum desses sacrifícios seus – me levantei e fui em direção ao banheiro.
            Se eu pudesse me afogaria nesse chuveiro. Seria pouco pra mim.
* * *
Continua...

19 comentários:

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  2. mais +++++++++++++++++++++++++++++++++++

    ResponderExcluir
  3. Ai que lindo.Posta Mais !!!

    ResponderExcluir
  4. Ai Jesus!! Quero mais!! Posta outro hj pelo amor de Deus!!

    ResponderExcluir
  5. Maaaaaaaaaaaaaais , Por favoooor !

    ResponderExcluir
  6. mais ++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++ eu amo essa web tinha que ter segunda temporada para ficar legal Nana *__*

    ResponderExcluir
  7. awwwwwwwwn que lindoooo.

    ResponderExcluir
  8. posta outro capitulo hoje pelo amor de DEUS

    ResponderExcluir
  9. AAANww que perfeitoo vamo lá quem quer mais um comenta e vami fazer assim SE CHEGAR AOS 40 COMENTARIOS ELA TEM QUE FAZER MAIS 7 CAPITULOAS BONUS \O/

    ResponderExcluir
  10. Nana pode escrever um livro que eu deixo kkk To quase morrendo aqui!!! A melhor web da minha vida serio!!

    ResponderExcluir
  11. Eita amiga vai ficar famosa desse jeito!!!
    Lara F.

    ResponderExcluir
  12. Posta mais pelo amor de deus

    Tá muito legal mesmo

    ResponderExcluir
  13. MAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAIS !

    ResponderExcluir