28/05/2012

"My first love"


Capitulo 8


Dias se passaram, a escola do mesmo jeito, os fins de semana com os mesmos programas e o meu pensamento sempre na mesma coisa, ou melhor, na mesma pessoa.
            Era uma sensação estranha, medo de encontrá-lo, emoção ao vê-lo, timidez num simples Oi que ele me falava. Era assim que eu vinha me sentindo em relação ao Arthur. Atualmente eu sei que isso era paixão de infância!
            E com o passar dos dias foi se tornando difícil esconder, ele quase sempre está lá em casa com o Pedro, ou então eu na casa da Mel nas nossas sessões de “pipoca com fofoca”. Mas até que enfim as férias se aproximavam.
            Viajamos cada um com sua família, a minha foi para o litoral. Foi meio chato ficar sem a Soph e a Mel, mas pelo menos conseguia me distrair. Ficamos quase um mês fora retornando apenas no finalzinho de janeiro.
            No dia que cheguei marquei logo de encontrar com a Soph e a Mel, tínhamos que colocar as fofocas em dia. Marcamos na casa da Mel, já que o Pedro estava com os ogrinhos (Mica e Chay) lá em casa e sabia que iriam ficar de olho na nossa conversa. E a casa da Soph estava terminando uma das grandes reformas que a tia Branca gostava de fazer.
            O que eu não imaginava é que ia ser tão bem recepcionada ao chegar à casa da Mel.
            Um príncipe usando uma bermuda vermelha, com óculos escuros e uma blusa preta no ombro... Isso mesmo, sem camisa! Ele abriu o portão todo lindo, um sorriso estonteante e me da um abraço apertado – tá foi um abraço normal, mas a sensação era de ser o melhor abraço do mundo.
            - Oi Luinha! – falou ele todo carinhoso – Ei, posso te chamar assim? É porque o Chay te chama assim e eu acho boniti...
            - A sim, sim... Sem problemas – respondi o interrompendo e tentando disfarçar um pouco – A Mel, ela tá ai?
            - Tá sim! Pode subir, só não vou te acompanhar porque to indo encontrar com os caras na sua casa – se explicou com o melhor sorriso no rosto, e como era lindo esse sorriso.
            E ao se despedir o inesperado de novo, ele me deu outro abraço e um selinho demorado e saiu batendo o portão, me deixando imóvel, dessa vez o selinho não foi sem querer. Mil coisas se passaram pela minha cabeça, borboletas voaram na minha barriga e... E eu voltei ao mundo real com a Mel e a Sophia me gritando. Só veio uma coisa na minha cabeça: Como vou explicar esse surto?
* * *
Continua...
Escrita por : Nana F


Nenhum comentário:

Postar um comentário